Portugal vai começar a fabricar camiões elétricos em 2019

Fábrica da Mitsubishi Fuso no Tramagal reforça produção em setembro e contrata 40 pessoas devido à subida da procura.

Desde 1964 que o Tramagal é conhecido pela sua fábrica de pesados. Os camiões que transportaram os militares portugueses em Angola, Moçambique e Guiné na Guerra Colonial saíram destas linhas de montagem. A inauguração, na altura, teve honras de Estado – Jorge Rosa, o presidente da Mitsubishi Fuso, lembra-se ainda de ver o Presidente da República Américo Thomaz a cortar a fita. Cinquenta e cinco anos depois, o barulho do motor a gasóleo foi trocado pelo silêncio das baterias.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Globalização e ética global

1. Muitas das graves convulsões sociais em curso têm na sua base a globalização, que arrasta consigo inevitavelmente questões gigantescas e desperta paixões que nem sempre permitem um debate sereno e racional. Hans Küng, o famoso teólogo dito heterodoxo, mas que Francisco recuperou, deu um contributo para esse debate, que assenta em quatro teses. Segundo ele, a globalização é inevitável, ambivalente (com ganhadores e perdedores), e não calculável (pode levar ao milagre económico ou ao descalabro), mas também - e isto é o mais importante - dirigível. Isto significa que a globalização económica exige uma globalização no domínio ético. Impõe-se um consenso ético mínimo quanto a valores, atitudes e critérios, um ethos mundial para uma sociedade e uma economia mundiais. É o próprio mercado global que exige um ethos global, também para salvaguardar as diferentes tradições culturais da lógica global e avassaladora de uma espécie de "metafísica do mercado" e de uma sociedade de mercado total.