Novas perturbações em voos da British Airways com partida de Heathrow

A companhia British Airways anunciou hoje atrasos e cancelamentos de voos com partida do aeroporto de Heathrow, em Londres, pelo terceiro dia consecutivo depois de uma avaria informática.

Às 10:45 locais (mesma hora em Lisboa), 13 voos para destinos europeus foram cancelados e cerca de 20 foram atrasados, de acordo com a AFP. No domingo tinham sido anulados cerca de 60 voos com partida deste aeroporto.

A companhia divulgou um comunicado e garantia de que grande parte dos voos de curta distância seria assegurada, mas pedia também aos clientes para verificarem a partida "antes de se deslocarem para o aeroporto" para evitar que as cenas de caos que ocorreram no sábado e no domingo se repitam.

A British Airways assinalou a "intenção de assegurar integralmente os voos de longo curso" em Heathrow, o seu principal centro de atividade.

Em Gatwick, outro aeroporto londrino onde a companhia opera, a British Airways afirmou que quer manter na totalidade os voos previstos, sem perturbação.

Desde sábado que problemas elétricos, segundo o diretor-geral Alex Cruz, causaram uma avaria nos sistemas informáticos provocando anulações e atrasos em série nos voos.

A falha informática, que surgiu num fim de semana prolongado, pode custar à companhia cerca de 100 milhões de libras (cerca de 115 milhões de euros), segundo alguns estudos.

A companhia anunciou que vai analisar os pedidos de reembolso dos clientes que não puderam viajar e que "uma política de reembolso mais flexível" foi adotada.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.