Novas perturbações em voos da British Airways com partida de Heathrow

A companhia British Airways anunciou hoje atrasos e cancelamentos de voos com partida do aeroporto de Heathrow, em Londres, pelo terceiro dia consecutivo depois de uma avaria informática.

Às 10:45 locais (mesma hora em Lisboa), 13 voos para destinos europeus foram cancelados e cerca de 20 foram atrasados, de acordo com a AFP. No domingo tinham sido anulados cerca de 60 voos com partida deste aeroporto.

A companhia divulgou um comunicado e garantia de que grande parte dos voos de curta distância seria assegurada, mas pedia também aos clientes para verificarem a partida "antes de se deslocarem para o aeroporto" para evitar que as cenas de caos que ocorreram no sábado e no domingo se repitam.

A British Airways assinalou a "intenção de assegurar integralmente os voos de longo curso" em Heathrow, o seu principal centro de atividade.

Em Gatwick, outro aeroporto londrino onde a companhia opera, a British Airways afirmou que quer manter na totalidade os voos previstos, sem perturbação.

Desde sábado que problemas elétricos, segundo o diretor-geral Alex Cruz, causaram uma avaria nos sistemas informáticos provocando anulações e atrasos em série nos voos.

A falha informática, que surgiu num fim de semana prolongado, pode custar à companhia cerca de 100 milhões de libras (cerca de 115 milhões de euros), segundo alguns estudos.

A companhia anunciou que vai analisar os pedidos de reembolso dos clientes que não puderam viajar e que "uma política de reembolso mais flexível" foi adotada.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.