Novas perturbações em voos da British Airways com partida de Heathrow

A companhia British Airways anunciou hoje atrasos e cancelamentos de voos com partida do aeroporto de Heathrow, em Londres, pelo terceiro dia consecutivo depois de uma avaria informática.

Às 10:45 locais (mesma hora em Lisboa), 13 voos para destinos europeus foram cancelados e cerca de 20 foram atrasados, de acordo com a AFP. No domingo tinham sido anulados cerca de 60 voos com partida deste aeroporto.

A companhia divulgou um comunicado e garantia de que grande parte dos voos de curta distância seria assegurada, mas pedia também aos clientes para verificarem a partida "antes de se deslocarem para o aeroporto" para evitar que as cenas de caos que ocorreram no sábado e no domingo se repitam.

A British Airways assinalou a "intenção de assegurar integralmente os voos de longo curso" em Heathrow, o seu principal centro de atividade.

Em Gatwick, outro aeroporto londrino onde a companhia opera, a British Airways afirmou que quer manter na totalidade os voos previstos, sem perturbação.

Desde sábado que problemas elétricos, segundo o diretor-geral Alex Cruz, causaram uma avaria nos sistemas informáticos provocando anulações e atrasos em série nos voos.

A falha informática, que surgiu num fim de semana prolongado, pode custar à companhia cerca de 100 milhões de libras (cerca de 115 milhões de euros), segundo alguns estudos.

A companhia anunciou que vai analisar os pedidos de reembolso dos clientes que não puderam viajar e que "uma política de reembolso mais flexível" foi adotada.

Ler mais

Exclusivos

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...