Morada do cartão de cidadão pode retirar isenção de mais-valias

Se as moradas fiscal e de habitação própria e permanente não coincidirem, os contribuintes são chamados a pagar imposto.

A morada que consta do Cartão de Cidadão pode fazer toda a diferença quando a venda de um imóvel se atravessa na vida do contribuinte. Cristina Duarte viu esta diferença transformar-se numa fatura de IRS de algumas centenas de euros em mais-valias quando decidiu vender a sua casa. É que, apesar de aquela ser o único imóvel de que era proprietária e de a ter habitado durante anos, não beneficiou do regime de isenção de tributação que é atribuído aos rendimentos que resultam da venda da habitação própria e permanente.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos

João Almeida Moreira

DN+ Cadê o Dr. Bumbum?

Por misturar na peça Amphitruo deuses, e os seus dramas divinos, e escravos, e as suas terrenas preocupações, o dramaturgo Titus Plautus usou pela primeira vez na história, uns 200 anos antes de Cristo, a expressão "tragicomédia". O Brasil quotidiano é um exemplo vivo do género iniciado por Plautus por juntar o sagrado, a ténue linha entre a vida e a morte, à farsa, na forma das suas personagens reais e fantásticas ao mesmo tempo. Eis um exemplo.