"Marcelfie": já pode tirar "selfies" com Marcelo sem estar ao lado dele

A aplicação é gratuita e está disponível a partir desta sexta-feira na Google Play Store

A ideia surgiu há um mês, mas os resultados da pesquisa recente da Eurosondagem, segundo a qual 52% dos portugueses gostariam de tirar uma selfie com o Presidente Marcelo, acabou por justificar o timing de lançamento da "Marcelfie", uma aplicação para telemóvel que permite tirar fotografias com o Chefe de Estado. A app está disponível a partir desta sexta-feira na Play Store.

"Estamos até a fazer um favor ao Presidente. Segundo a sondagem, pelo menos mais 5 milhões de portugueses gostariam de pedir para tirar uma fotografia com Marcelo, por isso estamos a poupar-lhe trabalho", explica ao DN Manuel Soares de Oliveira, diretor da agência Mosca Digital, que lançou a aplicação gratuita, ainda só disponível para Android, apesar de já estar a ser criada a versão para iOS.

A agência gostaria de ter uma reação do próprio Marcelo Rebelo de Sousa, mas acredita que o Presidente irá gostar da brincadeira: "É um Presidente com sentido de humor", diz o diretor da Mosca Digital.

Por isso, e como sugere a agência, se quer "provocar a inveja dos seus amigos", baixe a app e fique com uma selfie como esta, onde aparece o Manuel Soares de Oliveira com o Presidente.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.