Mais de 11 mil notas de euro retiradas de circulação pelo Banco de Portugal

No segundo semestre de 2019 serão colocadas em circulação as novas notas de 100 e 200 euros

Mais de 11 mil notas de euro contrafeitas foram retiradas de circulação em Portugal entre janeiro e junho, sendo a nota de 20 euros a mais contrafeita, segundo dados divulgados esta sexta-feira pelo Banco de Portugal (BdP).

De acordo com o BdP, durante o primeiro semestre de 2018, em Portugal, foram retiradas de circulação 11.290 notas contrafeitas, mais 1.519 do que no segundo semestre de 2017.

A nota de 20 euros é a mais contrafeita, tendo sido retiradas de circulação 7.622 unidades, seguida da de 50 euros, com 2.657 retiradas.

Segundo o BdP, as contrafações apreendidas apresentam qualidade regular e podem ser identificadas recorrendo à metodologia "Tocar - Observar - Inclinar", não sendo necessário para o efeito utilizar qualquer instrumento de verificação.

O regulador bancário refere que "os valores [de notas apreendidas] permanecem residuais quando comparados com as notas em circulação".

No segundo semestre de 2019, em data a anunciar, serão colocadas em circulação as novas notas de 100 e 200 euros, que completam a segunda série de notas de euro -- a série Europa.

De acordo com o comunicado do Banco Central Europeu (BCE), também divulgado na página do BdP, no primeiro semestre de 2018, foram retiradas de circulação cerca de 301.000 notas de euro contrafeitas, o que constitui uma diminuição de 17,1% face ao segundo semestre de 2017 e menos 9,1% do que no primeiro semestre de 2017.

"A probabilidade de se receber uma nota contrafeita é diminuta", refere o BCE.

As notas de 20 euros e 50 euros continuaram a ser as mais contrafeitas, representando, em conjunto, cerca de 83% do total de contrafações.

A maioria das notas contrafeitas (88,8%) foi detetada em países da área do euro, tendo cerca de 10,3% das notas sido apreendidas em Estados-membros da União Europeia não pertencentes à área do euro e 0,9% sido detetadas em outras partes do mundo.

"A quantidade de contrafações permanece muito reduzida, em comparação com o número de notas de euro genuínas em circulação, o qual tem aumentado continuamente, a taxas superiores ao crescimento do produto interno bruto (PIB), desde a introdução das notas de euro", refere.

Em 2017, por exemplo, acrescenta, a quantidade e o valor das notas de euro em circulação aumentaram, respetivamente, cerca de 5,9% e 4% e presentemente, encontram-se em circulação muito mais de 21 mil milhões de notas de euro, com um valor total superior a 1,1 mil milhões de euros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.