Maiores fortunas perderam 178 mil milhões com saída do Reino Unido da UE

Evaporaram-se das bolsas mundiais 2,7 biliões de euros nas duas sessões após o resultado do referendo britânico

A saída do Reino Unido da União Europeia deixou os mais ricos um pouco mais pobres. A queda a pique das bolsas mundiais, que perderam 2,7 biliões de euros do seu valor nos dois dias que se seguiram à vitória do brexit, emagreceu as fortunas dos 400 mais ricos do mundo em mais de 178 mil milhões de euros.

As perdas foram contabilizadas pela agência Bloomberg, que tem um índice que acompanha as maiores fortunas globais, segundo o qual os milionários europeus foram os mais penalizados. Contas feitas, os 92 milionários do Velho Continente viram as suas posições emagrecer em 26,6 mil milhões de euros em apenas duas sessões, aumentando as perdas desde o início do ano para 41,1 mil milhões. O multimilionário alemão Georg Schaeffler e o espanhol Amancio Ortega, o dono da Zara, tiveram das maiores quebras no seu património. Apesar de estarem mais longe do epicentro da turbulência, os mais ricos dos Estados Unidos e do Canadá também viram as suas fortunas encolher com o brexit. Mais concretamente, os 150 afortunados destes dois países perderam 24 mil milhões de euros. Já os 26 milionários chineses que integram o ranking da Bloomberg perderam 4,5 mil milhões.

Na base da perda de valor das carteiras dos mais ricos está a hecatombe que assolou os mercados mundiais desde que foi conhecido o resultado do referendo britânico. De acordo com o Financial Times, as bolsas mundiais perderam 2,7 biliões de euros em apenas dois dias. "A conclusão a que se chega é que muito poucos investidores estavam posicionados para o resultado que o referendo acabou por ter", afirmou Nicholas Colas, estratega na Convergex, ao jornal britânico.

Ainda assim, houve quem conseguisse sobreviver à sexta-feira negra e visse a sua fortuna engordar. Segundo os dados da Bloomberg, foram 69 os milionários que ficaram ainda mais ricos. É o caso dos japoneses, que beneficiaram da valorização do iene. Ontem, muitos investidores aproveitaram para entrar na Bolsa e recuperar algum do valor perdido.

Ler mais

Exclusivos