Lucros das 1000 maiores são de de 5,8 mil milhões de euros

Cerca de 143 mil milhões de euros foram as receitas conjuntas das 1000 maiores empresas nacionais em 2016, um ligeiro crescimento de 1,8%.

As 1000 maiores empresas nacionais geraram, em 2016, cerca 143 mil milhões de euros de receitas - o equivalente a 77% do PIB nacional - o que representou um crescimento de 1,8% face ao ano anterior, ainda que um ligeiro decréscimo de peso no PIB. Estas empresas conseguiram, pois, aproveitar retoma da confiança e o consecutivo crescimento da economia nacional, que registou um incremento de 1,4% no ano passado, e recuperaram até um pouco mais nas vendas do que a taxa de crescimento do produto interno.

Boas notícias também no que aos resultados líquidos diz respeito, já que os lucros acumulados deste grupo de empresas aumentaram 2,89%, atingindo um montante de 5,8 mil milhões de euros, face aos 5,7 mil milhões registados em 2015. Também as exportações destas empresas conseguiram um bom comportamento, ao crescerem 5,94%, passando de um montante de 33,35 mil milhões para 35,33 mil milhões de euros.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.