Jorge Moreira da Silva: "Não nos podemos dar ao luxo de ter fadiga reformista"

Dívida, desigualdades e revolução tecnológica estão no centro das preocupações do executivo da OCDE

Portugal no futuro, como será? Que desafios, que reformas e que compromissos temos nós de assumir agora para podermos encarar o futuro com outra esperança? As perguntas, de resposta difícil, vão ser feitas hoje, em Lisboa, pela Plataforma para o Crescimento Sustentável (PCS), think tank liderado por Jorge Moreira da Silva, ex-ministro do Ambiente e atual diretor-geral de Desenvolvimento e Cooperação da OCDE.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos