Invisível ficou mesmo invisível antes de terminar a vindima da próxima edição

A Ervideira volta a lançar uma nova colheita de Invisível, mantendo a tradição de a lançar no dia das mentiras

A vindima noturna, de 2017, que vai dar origem à colheita do Invisível ainda não acabou, mas "o vinho, da colheita de 2016, já é mesmo invisível", diz Duarte Leal da Costa, diretor Executivo da Ervideira. Isto, "porque o vinho a lançar no dia 1 de abril já foi todo vendido, as 60 mil garrafas já esgotaram. O que significa que vamos ter uma rutura de stock durante sete meses".

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...