Subida dos preços desacelerou para 0,4% em abril

Valor é inferior aos 0,7% registados em março, indica o Instituto Nacional de Estatística

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi de 0,4% em abril, desacelerando face aos 0,7% observados em março, confirmou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com o INE, a variação homóloga do indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) foi de 0,2% em abril (face aos 0,8% registados em março), confirmando também os dados avançados na estimativa rápida publicada em 30 de abril.

"A desaceleração do IPC reflete em parte um efeito de base, tendo-se observado aumentos significativos dos preços de alguns produtos em abril de 2017 no período da Páscoa, em particular nas classes 'restaurantes e hotéis' e 'transporte'", nota o instituto estatístico.

A variação mensal do IPC foi, por sua vez, de 0,7% (após uma variação de 1,9% em março e 1,0% em abril de 2017) e a variação média dos últimos 12 meses foi de 1,1% (que compara com os 1,2% registados no mês precedente).

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 0,3%, taxa inferior em 0,5 pontos percentuais à do mês anterior e inferior em 0,9 pontos percentuais à estimativa do Eurostat para a área do euro (em março, esta diferença foi de 0,5 pontos percentuais).

O IHPC registou uma variação mensal de 1,0% (2,2% no mês anterior e 1,5% em abril de 2017) e uma variação média dos últimos doze meses de 1,2% (valor inferior em 0,2 pontos percentuais ao registado em março).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.