Número de turistas chineses em Portugal cresce 40% para 191 mil até setembro

A existência de um voo direto entre Lisboa e Pequim mostra o "crescimento do mercado chinês em Portugal", afirma a secretária de Estado do Turismo

O número de hóspedes chineses em Portugal cresceu 40% para 191 mil nos primeiros nove meses do ano, face ao período homólogo, disse a secretária de Estado do Turismo hoje, em Macau, acrescentando que o ritmo é para manter.

Questionada à margem do 43.º Congresso da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo, que começou hoje em Macau, sobre perspetivas de novas ligações para a Ásia, Ana Mendes Godinho afirmou que este ano já se conseguiu "uma vitória histórica, que foi conseguir um voo direto entre Lisboa e Pequim", uma "conquista enorme", que teve uma "demonstração clara do crescimento do mercado chinês" em Portugal.

"Neste momento, há um crescimento histórico. De janeiro a setembro recebemos cerca de 191 mil hóspedes chineses, mais 40% do que no período homólogo", afirmou aos jornalistas, à margem da sessão inaugural da reunião magna dos agentes de viagens portugueses.

A secretária de Estado do Turismo disse que no ano passado este crescimento já tinha sido de 18%.

Sobre o atual objetivo, afirmou: "é manter este nível deste ano, que é um valor fantástico".

Os turistas chineses que chegam a Portugal "procuram história, cultura, gastronomia, segurança e experiências diferentes", adiantou a secretária de Estado.

"Ou seja, cada vez mais, estamos a promover também o destino Península Ibérica, fazendo uma promoção conjunta, passando a mensagem de que indo à Península Ibérica têm oportunidade de conhecer dois países completamente diferentes, com experiências completamente diferentes e com a vantagem acrescida que é o voo direto, que permite que entrem ou saiam via Portugal", acrescentou.

E sobre este voo direto, sublinhou ainda que este "muda completamente o paradigma da operação", porque Portugal deixa de "estar completamente dependente da entrada e saída dos aeroportos em Espanha".

"As operações podem ser feitas de uma forma muito mais equilibrada com a divisão entre os dias em Portugal em Espanha", concluiu.

O 43.º Congresso Nacional da APAVT começou hoje em Macau, contando com mais de 700 congressistas, 650 dos quais, segundo fonte oficial da APAVT, são portugueses.

Este número de congressistas é "a maior afluência dos últimos 20 anos, tendo ultrapassado todas as expectativas", disse a mesma fonte à Lusa, o que obrigou pela primeira vez na história da associação a suspender inscrições.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.