Furo de petróleo. Consórcio Eni-Galp pronto para ir para o terreno

Fonte oficial da Eni apontou o início dos trabalhos na costa alentejana para setembro/outubro de 2018.

Depois da “luz verde” dada pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), que dispensou a realização de um estudo de impacte ambiental no âmbito do furo para prospeção de petróleo em Portugal, por considerar que "o projeto não é suscetível de provocar impactes negativos significativos", o consórcio Eni-Galp reagiu em comunicado à decisão dizendo que vai “começar a trabalhar nas condições exigidas pela APA e no planeamento das atividades necessárias para perfurar o poço em segurança”.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos