FMI. Governo devia ir mais rápido no défice e com mais calma nas leis laborais

O défice público deste ano "está ao alcance", diz o FMI no resumo da sua avaliação anual ao país, divulgado esta terça-feira

A meta orçamental mantém-se nos 0,7% do produto interno bruto (PIB). No entanto, o credor pressente uma série de riscos negativos a emergir e recomenda ao governo que use as boas condições económicas que ainda prevalecem e faça um "frontloading" do ajustamento orçamental previsto no Programa de Estabilidade. No fundo que vá mais rápido da redução do défice e da dívida, de modo a resistir a eventuais "surpresas adversas mais adiante".

Ler mais

Ler mais

Exclusivos