Ficaram quase 13 milhões de euros de prémios por reclamar

Já alguma vez encontrou um boletim do Euromilhões com prémio, mas que se esqueceu de reclamar e deixou prazo? Não é o único

No ano passado os portugueses deixaram caducar, sem reclamar, quase 13 milhões de euros de prémios dos jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), do Euromilhões à Lotaria.

Segundo o Relatório e Contas de 2017 da instituição, apresentado esta sexta-feira, o valor dos prémios caducados ascendeu a 12,9 milhões de euros, uma subida substancial em relação aos 8,7 do ano anterior.

Os prémios caducados são "rendimentos derivados da caducidade de prémios de jogo apurados, findo o período de 90 dias no qual estes prémios podem ser reclamados".

Um dos prémios mais altos que alguma vez ficaram por reclamar foi um prémio de Joker, de sete milhões. A Santa Casa chegou a publicar anúncios, mas o vencedor nunca apareceu.

Os prémios não reclamados revertem a favor do Fundo Rainha Dona Leonor de reabilitação das Misericórdias.

As vendas brutas dos Jogos Sociais ultrapassaram, em 2017, os 3 mil milhões de euros. No que diz respeito às receitas correntes, o resultado líquido dos jogos foi de 729 milhões de euros, tendo sido distribuídos pelos beneficiários 718 milhões.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.