Família Azevedo regressa ao pódio dos mais ricos de Portugal

A riqueza das 25 famílias mais ricas representa 10% do PIB. Este ano, os herdeiros de Belmiro de Azevedo regressam ao pódio para ocupar o 3º lugar.

17,9 mil milhões de euros. Este é o valor da fortuna das 25 famílias mais ricas de Portugal, um número que mais do que duplicou nos últimos 15 anos e que representa hoje quase 10% do PIB nacional. A mais rica é a família Amorim, herdeiros de Américo Amorim, mas este ano a família Azevedo reconquista o lugar no pódio para ocupar o terceiro lugar.

A Revista Exame tenta descobrir, desde 2004, onde estão as maiores riquezas em território nacional, analisando relatórios, comunicados, registos e notícias, e esta terça-feira revela quem são os 25 mais ricos. Em segundo lugar encontramos a família de Alexandre Soares dos Santos, presidente da Jerónimo Martins, e a quarta posição é ocupada pela família Guimarães de Mello, liderada por Vasco de Mello.

O ano passado, a fortuna conjunta dos mais ricos representava 18,8 mil milhões, ligeiramente acima do valor de 2018.

A família Azevedo foi a família mais rica do país em 2004 e a fortuna dos dez mais ricos de Portugal estava na altura avaliada em pouco mais de 5 mil milhões de euros. Hoje, os dez mais ricos de 2018 conseguiram ultrapassar a crise económica e financeira que atravessou Portugal algures nos últimos 15 anos, e reúnem uma fortuna de 12,8 mil milhões de euros.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.