Esta quinta-feira foi o pior dia para a empresa de Mark Zuckerberg

Ações do Facebook caíram 19% logo de manhã. Diretor financeiro já alertou os investidores para a mais do que provável quebra nos lucros

Foi um dia negro para a empresa de Mark Zuckerberg. As ações do Facebook caíram 19% logo na abertura da bolsa esta quinta-feira. A empresa tinha alertado os investidores um dia antes sobre o crescimento que se prevê que vá diminuir nos próximos trimestres. Em causa está a nova estratégia que a empresa foi obrigada a adotar depois do escândalo que envolveu as questões de privacidade dos utilizadores da rede social.

A queda retirou 120 mil milhões de valor de mercado ao Facebook, o que configura uma das maiores perdas de uma empresa pública, de acordo com a CNN.

David Wehner, diretor financeiro da empresa, explicou aos investidores que o Facebook está "a colocar a privacidade em primeiro lugar" depois do escândalo Cambridge Analytica ter colocado a empresa numa situação difícil perante a opinião pública.

No entanto, os cuidados com a privacidade irão reverter-se numa queda nos lucros: o Facebook ganha mais dinheiro com o feed de notícias do que com os outros produtos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).