Espanha é cada vez mais o principal cliente de Portugal

Dados de 2017 indicam que Portugal é o quarto cliente de Espanha e o seu oitavo fornecedor.

Espanha foi em 2017 o principal cliente e fornecedor de Portugal, enquanto Portugal é o quarto cliente de Espanha e o seu oitavo fornecedor, segundo dados do INE e da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

Em 2017, havia 6770 empresas portuguesas a exportar para Espanha, um aumento de 20% relativamente ao ano anterior.

No ano passado, as exportações para Espanha subiram 7,3% para 13 885,9 milhões de euros, e as importações de bens de Madrid avançaram 8,5% para 22 091,0 milhões de euros, o que correspondeu a um saldo da balança comercial para Portugal negativo em mais de oito mil milhões de euros.

Espanha tem desde 07 de junho um novo Governo, liderado Pedro Sánchez (PSOE), na sequência da aprovação da moção de censura contra o Executivo de Mariano Rajoy (PP), colocando o país sob a atenção da restante Europa, uma vez que o novo primeiro-ministro tem o desafio de governar com a escassa minoria que tem no parlamento.

Madrid é o principal cliente e fornecedor de Lisboa, enquanto Portugal é o quarto cliente de Espanha e o seu oitavo fornecedor, segundo dados de 2017 do INE - Instituto Nacional de Estatística e da AICEP.

Já no primeiro trimestre deste ano, as exportações de bens portugueses para Espanha subiram 0,5% no primeiro trimestre deste ano, para 3609,3 milhões de euros, enquanto as importações aumentaram 7,9% para 5668,1 milhões de euros, segundo dados do INE.

Nos primeiros três meses do ano, o saldo da balança comercial era negativo para Lisboa em 2058,8 milhões de euros.

De acordo com dados do INE, os veículos e outro material de transporte, agrícolas, metais comuns, vestuário e plásticos de borracha são os cinco produtos mais exportados para Espanha.

No ano passado, as vendas de veículos e outro material de transporte (com um peso de 11,5% no total das exportações para Espanha) cresceram 11,8%, para 1596,2 milhões de euros, com as agrícolas (10,9%) a progredirem 15%, para 1511,1 milhões de euros.

Já as exportações de metais comuns (10,7%) cresceram 22,6% em 2017, face a igual período do ano anterior, para 1490,8 milhões de euros e as de vestuário (9,7%) diminuíram 0,9%, para 1350,4 milhões de euros.

No que respeita às exportações de serviços, no primeiro trimestre subiram 14,1% para 751,1 milhões de euros, e as importações aumentaram 11,8% para 729,6 milhões de euros, o que representa um saldo da balança comercial positivo para Lisboa de 127,6 milhões de euros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.