Erros de português escondem caloteiros

A falta de um til ou de acentos faz com que alguns nomes da lista de devedores ao Fisco sejam difíceis de encontrar

A Associação de Professores de Português lamenta a falta de cuidado aplicada à lista de devedores do Fisco, cujo objetivo deveria ser denunciar os caloteiros e envergonhá-los publicamente mas que, por causa dos erros de português, esconde alguns calotes, escreve hoje o Jornal de Notícias.

De acordo com esta publicação, a lista de devedores tem vários nomes mal escritos. Gralhas básicas, como a falta de um til, cedilha ou acentos, que "escondem" os caloteiros, uma vez que os nomes destes surgem ordenados alfabeticamente. Assim, escreve o JN, um João sem o til em vez de surgir junto aos outros, só aparece noutra página da lista.

Edviges Antunes Ferreira, presidente da Associação de Professores de Português lamentou ao JN que o Estado maltrate a língua, tendo já solicitado uma audiência ao presidente da República para denunciar este e outros erros cometidos por entidades públicas.

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.