Emprego cresce sobretudo em salários e profissões de topo

País tem agora mais de 165 mil chefes e dirigentes e quase 40 mil pessoas a ganhar acima de 3000 euros líquidos, diz o INE.

O nível médio salarial da economia portuguesa recuperou de forma notória no segundo trimestre deste ano, puxado pelas profissões com salários mais elevados e pelo número recorde de empregos nas chamadas classes dirigentes e de chefia, mostram as séries do Instituto Nacional de Estatística (INE), ontem atualizadas pelos resultados do inquérito ao emprego do segundo trimestre.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos