Efacec quebra três anos de prejuízo com 4,3 milhões de lucros

Reestruturação permitiu melhoria operacional e diminuição de custos de produção que se traduziram nos primeiros resultados positivos desde 2012.

O ano passado foi o primeiro, depois da crise, em que a Efacec conseguiu resultados positivos: as receitas aumentaram 15,5 milhões para 431,5 milhões de euros e o EBITDA (resultado antes de juros, impostos, amortizações e depreciações) subiu 25% (7,1 milhões de euros) para 34,9 milhões de euros. Depois de 20,5 milhões de prejuízo em 2015, a empresa fechou 2016 com 4,3 milhões de euros de lucro. "O pior já passou", garantiu Ângelo Ramalho, CEO da empresa, na apresentação dos resultados, esta terça-feira, à imprensa.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.