EDP contra-ataca. Junta-se à BP e Pingo Doce para combater Galp e Continente

Para aderirem a estes descontos, bastará aos clientes associar o cartão Poupa Mais (BP e Pingo Doce) ao contrato da EDP Comercial.

Depois de a Galp já se ter aliado ao Continente para oferecer aos clientes descontos cruzados entre as duas marcas em compras, eletricidade, gás natural e combustíveis, agora é a vez da EDP se juntar à BP e ao Pingo Doce, e à sua parceria já existente há seis anos, através do cartão Poupa Mais.

"Clientes da EDP Comercial com cartão Poupa Mais que abasteçam nos postos BP vão pagar menos pela eletricidade e gás. A parceria estende-se à mobilidade elétrica. A BP, a EDP e o Pingo Doce vão juntar-se para dar mais descontos aos seus clientes. A partir de agora, os clientes da EDP Comercial com cartão Poupa Mais que abasteçam nos postos BP vão pagar menos pela eletricidade e gás", informou a EDP em comunicado.

Na prática, refere a elétrica, cada 40 litros de combustível acumulados mensalmente na BP passam a dar direito a um desconto automático de dois euros na fatura da EDP Comercial. "Para aderirem a estes descontos, bastará aos clientes associar o cartão Poupa Mais ao contrato da EDP Comercial, através do site poupamais.pt, da linha de apoio deste cartão ou nas lojas da EDP", explica a empresa.

O Plano Galp Continente, por exemplo, permite um desconto de 8% no total da fatura da eletricidade, 8% de desconto na fatura de gás natural e menos 12 cêntimos por litro em combustíveis nos postos Galp, tudo isto concentrado no cartão Continente e também na aplicação correspondente.

E mais: os benefícios desta nova parceria da EDP e da BP alargam-se também aos carregamentos dos veículos eléctricos, nos postos BP, que passarão a receber pontos a triplicar no cartão Poupa Mais. BP e EDP assinaram já um acordo que resultará na instalação de novos postos de carregamento de veículos elétricos no país.

"Os cinco primeiros postos estão distribuídos por Lisboa, Porto e Maia, mas esperamos poder instalar, no espaço de um ano, cerca de 30 pontos de carregamento em toda a rede", saliente Anabela Silva, diretora de marketing e comunicação externa da BP, sublinhando ainda que "a parceria entre a BP e a EDP constitui um passo muito importante na nossa política de sustentabilidade, no futuro da mobilidade e no enriquecimento da nossa oferta junto do cliente."

Os benefícios desta nova parceria da EDP e da BP alargam-se também aos carregamentos dos veículos eléctricos

Anabela Silva sublinha ainda que a BP "está a criar as soluções energéticas alternativas". "Sabemos que a resposta não pode ser singular, por isso, em todos os cenários que trabalhamos apresentamos uma diversificação de portefólio e não apenas uma solução", acrescenta.

Para a EDP, este acordo com a BP permite dar um novo impulso à aposta do grupo na mobilidade elétrica. "A mobilidade elétrica é um dos eixos estratégicos da EDP e, por isso, temos vindo a lançar novas soluções que respondem claramente aos desafios que se impõem. Acreditamos que as parcerias são fundamentais, especialmente nesta área, para assegurar que construímos ecossistemas sustentáveis", afirma Vera Pinto Pereira, presidente da EDP Comercial, empresa líder de mercado com mais de quatro milhões de clientes em Portugal.

O lançamento desta parceria será marcado com o arranque de uma campanha publicitária, que irá estar presente nas próximas duas semanas em imprensa, rádio e digital. A campanha destacará os benefícios para os clientes, suportando-se criativamente na ligação natural entre os três parceiros.

Em Espanha, por exemplo, a Repsol oferece descontos entre 2 e 6 cêntimos por litro de gasolina, diesel ou GPL aos clientes que contratem eletricidade ou gás com a empresa. Para começar, nos seus tarifários a Repsol oferece descontos, durante 12 meses, entre 2 e 6 cêntimos por litro de gasolina, diesel ou GPL aos novos clientes que contratem planos de eletricidade ou gás, independentemente da tarifa que subscrevam. Soma-se ainda, durante seis meses, um desconto extra de três cêntimos para quem descarregar a aplicação móvel Waylet. Na prática, os descontos serão feitos por via de saldo carregado na app que depois pode ser usado nas gasolineiras da Repsol.

Os descontos aumentam na proporção do número de contratos celebrados com a Repsol. Por exemplo, com um contrato de eletricidade e gás os clientes podem obter um desconto de 2 cêntimos em gasóleo Diesel e+, gasolina Efitec 95 ou Autogas. No caso de dois contratos, o desconto passa para três cêntimos e se forem três ou mais contratos a promoção nos combustíveis passa a 4 cêntimos por litro. Para gasóleo Diesel e+10 e gasolina Efitec 98, o desconto pode chegar a 6 cêntimos.

Desde fevereiro que os consumidores domésticos do país vizinho têm também à disposição a tarifa Cepsa Lar, a primeira a juntar três fontes de energia - combustíveis, luz e gás -, com descontos cruzados (até 18%) entre elas.

Bárbara Silva é jornalista do Dinheiro Vivo

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

A ameaça dos campeões europeus

No dia 6 de fevereiro, Margrethe Vestager, numa só decisão, fez várias coisas importantes para o futuro da Europa, mas (quase) só os jornais económicos repararam. A comissária europeia para a Concorrência, ao impedir a compra da Alstom pela Siemens, mostrou que, onde a Comissão manda, manda mais do que os Estados membros, mesmo os grandes; e, por isso mesmo, fez a Alemanha e a França dizerem que querem rever as regras do jogo; relançou o debate sobre se a Europa precisa, ou não (e em que condições), de campeões para competir na economia global; e arrasou com as suas possibilidades (se é que existiam) de vir a suceder a Jean-Claude Juncker.

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.