É preciso haver mais vinho de qualidade para aumentar as exportações

Sem grande capacidade para crescer em área de cultivo, Portugal tem de apostar na valorização dos seus vinhos, defende Jorge Monteiro.

As exportações portuguesas de vinho cresceram mais de 35% na última década e ultrapassam já a barreira dos 779 milhões de euros. A manter-se a performance do primeiro trimestre, quando vendemos mais 8% de vinho ao exterior, podemos ambicionar chegar perto dos 840 milhões neste ano. A grande incógnita é como manter este ritmo quando não é expectável que a superfície vitícola em Portugal aumente significativamente. Para o presidente da ViniPortugal, a resposta está no crescimento em valor. "Precisamos de mais vinho certificado", defende Jorge Monteiro.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os aspirantes a populistas

O medo do populismo é tão grande que, hoje em dia, qualquer frase, ato ou omissão rapidamente são associados a este bicho-papão. E é, de facto, um bicho-papão, mas nem tudo ou todos aqueles a quem chamamos de populistas o são de facto. Pelo menos, na verdadeira aceção da palavra. Na semana em que celebramos 45 anos de democracia em Portugal, talvez seja importante separarmos o trigo do joio. E percebermos que há políticos com quem podemos concordar mais ou menos e outros que não passam de reles cópias dos principais populistas mundiais, que, num fenómeno de mimetismo - e de muito oportunismo -, procuram ocupar um espaço que acreditam estar vago entre o eleitorado português.