Concorrência: É preciso aplicar recomendações para preço dos combustíveis descer

Margarida Matos Rosa disse que muitas das recomendações feitas para os combustíveis líquidos desde 2004 não foram implementadas

A presidente da Autoridade da Concorrência (AdC), Margarida Matos Rosa, defendeu hoje, no Parlamento, que têm ficado por aplicar recomendações no mercado dos combustíveis, o que pode impedir a descida dos preços.

Na comissão parlamentar de Economia, Margarida Matos Rosa referiu que, no trabalho de revisão das recomendações feitas para os combustíveis líquidos desde 2004, notou-se que "muitas delas não foram implementadas".

"Acreditando nós que as recomendações trariam maior concorrência no setor e consequentemente uma possível baixa de preços, resultante dessa concorrência e o aumento da qualidade do serviço, se as recomendações não forem implementadas ou apenas parcialmente, não podemos garantir que haja de facto um 'timing' previsto para que o aumento da concorrência possa surtir efeito", afirmou a responsável, escusando-se, por agora, a pormenorizar a situação.

Quanto ao gás de botija, a responsável indicou que uma das recentes recomendações feitas foi implementada, mas a líder da AdC sugeriu "prudência" na comparação de preços do gás de botija entre Portugal e Espanha, uma vez que houve decisões judiciais que obrigaram o Estado espanhol a compensar a Repsol.

"Praticamente monopolista no mercado", a empresa recebeu compensações por o "preço do gás em botija não cobrir os custos de fornecimento", pelo que a fatura foi paga indiretamente pelos consumidores, alertou.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.