Dono da Zara e Maximo Dutti aumenta lucros trimestrais em 2% para 668 milhões

A Inditex, líder mundial da venda de roupa a retalho, registou lucros de 668 milhões de euros entre fevereiro e abril deste ano.

O grupo espanhol Inditex anunciou esta quarta-feira ter obtido lucros de 668 milhões de euros no trimestre de fevereiro a abril, correspondendo a um aumento homólogo de 2%.

Segundo a informação enviada à CNMV (Comissão Nacional do Mercado de Valores) espanhola, a empresa galega revela que também aumentou as suas vendas em 2%, para 5.654 milhões de euros, em relação ao mesmo período do ano passado.

Medido com as taxas de câmbio constantes, as vendas nas lojas e no 'online' aumentaram 7%, segundo adianta o maior grupo de distribuição têxtil do mundo.

Entre fevereiro e abril, a Inditex realizou abertura de lojas em 36 mercados, tendo no final do período 7.448 lojas em 96 países.

O resultado antes de impostos, juros, amortizações e depreciações (EBITDA) no trimestre foi de 1.125 milhões de euros, um aumento de 1% em relação ao mesmo período do ano passado.

Em Portugal, o grupo Inditex tinha 337 lojas no finald e 2017, repartidas entre as marcas de Zara (67), Zara Kids (16), Pull&Bear (53), Massimo Dutti (41), Bershka (50), Stradivarius (44), Oysho (34), Zara Home (26) e Uterque (6).

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.