Dívida dos hospitais a fornecedores no valor mais alto dos últimos 15 meses

O acréscimo da dívida, no valor de 70 milhões de euros, representa um aumento dos pagamentos em atraso de 13%

Os hospitais-empresa estão a adiar os pagamentos a fornecedores, tendo-se registado em maio um acréscimo de 13% desta dívida, em comparação com o mês anterior, avança hoje o Jornal de Negócios. Trata-se de mais 70 milhões de euros, o que representa o montante mais elevado dos últimos 15 meses.

Os dados são da Direção-Geral do Orçamento, segundo a qual os pagamentos em atraso da Administração Pública situa-se nos 1.086 milhões de euros. Um crescimento que se segue a uma redução verificada em abril.

Feitas as contas, os valores em atraso nos hospitais EPE (Entidades Públicas Empresariais) está agora nos 605 milhões de euros.

No final de 2015, de acordo com o mesmo jornal, o Hospital de Santarém precisava de 523 dias para pagar aos fornecedores, era o que demorava mais tempo a saldar as dívidas. Mas havia mais três a necessitar de mais de um ano para o fazer, entre eles o Centro Hospitalar Norte, que inclui o Santa Maria e o Pulido Valente.

Ler mais

Exclusivos