Despedimentos coletivos são menos. Despedidos são mais

Quebra nas exportações e no investimento poderá explicar que grandes empresas estejam a recorrer mais a despedimentos coletivos

O número de despedimentos coletivos atingiu, no primeiro trimestre deste ano, o valor mais baixo desde 2008. Mas as notícias não são todas boas. Esta descida não foi acompanhada por uma redução dos trabalhadores abrangidos por estes processos - no início de 2015, havia a intenção de dispensar 1400 trabalhadores neste ano eram 1555.

Ler mais

Exclusivos