Desligar ou não desligar? Eis a questão

O desafio que muitas empresas enfrentam é a retenção de talento. A separação entre a vida pública e privada é cada vez mais essencial.

Para muitas empresas, crescer é uma equação simples: talento+talento. Sabem que são os seus recursos humanos que os impulsionam, mas deparam-se com um ponto de interrogação: como reter esse talento? Numa era em que há uma guerra pelos melhores dos melhores, as companhias adotam medidas para não os perder. E a questão estende-se para lá do salário. Cada vez mais, os funcionários querem um equilíbrio entre a vida profissional e a pessoal. As empresas desdobram-se para dar resposta a esse repto.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.