DefinedCrowd. Tornar as máquinas capazes de nos entender é com ela

Avaliada em mais de 20 milhões de euros, esta startup fornece dados de alta qualidade usados nos assistentes pessoais de eletrodomésticos

Falar com os eletrodomésticos é hoje cada vez menos estranho. Se comprarmos umas colunas da Amazon, as Echo, por exemplo, conversamos com a Alexa, a assistente pessoal inteligente que satisfaz os novos pedidos. Para que esta assistente funcione são necessários milhões de dados. Esta é a missão da DefinedCrowd, startup nascida em agosto de 2015 e fundada por Daniela Braga. IBM, Accenture e Nikon são algumas das empresas que recorrem aos serviços da plataforma portuguesa, avaliada em 25 milhões de dólares (21,5 milhões de euros).

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

O Mourinho dos Mourinhos

"Neste país todos querem ser Camões mas ninguém quer ser zarolho", a frase é do Raul Solnado e vem a propósito do despedimento de José Mourinho. Durante os anos de glória todos queriam ser o Mourinho de qualquer coisa, numa busca rápida encontro o "Mourinho da dança", o "Mourinho da política", o "Mourinho da ciência" e até o "Mourinho do curling". Os líderes queriam ter a sua assertividade, os homens a sexyness grisalha e muitas mulheres queriam ter o Mourinho mesmo.