DefinedCrowd. Tornar as máquinas capazes de nos entender é com ela

Avaliada em mais de 20 milhões de euros, esta startup fornece dados de alta qualidade usados nos assistentes pessoais de eletrodomésticos

Falar com os eletrodomésticos é hoje cada vez menos estranho. Se comprarmos umas colunas da Amazon, as Echo, por exemplo, conversamos com a Alexa, a assistente pessoal inteligente que satisfaz os novos pedidos. Para que esta assistente funcione são necessários milhões de dados. Esta é a missão da DefinedCrowd, startup nascida em agosto de 2015 e fundada por Daniela Braga. IBM, Accenture e Nikon são algumas das empresas que recorrem aos serviços da plataforma portuguesa, avaliada em 25 milhões de dólares (21,5 milhões de euros).

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.