CTT anunciam acordo para manter serviços em 14 dos 22 balcões que iam encerrar

Garantia foi dada pelo porta-voz dos CTT

Os CTT anunciaram esta quarta-feira que já existem acordos que permitirão manter os serviços postais em 14 dos 22 balcões que iam encerrar após restruturação.

A notícia está a ser avançada pela TSF, citando o porta-voz dos CTT, Miguel Salema Garção. O responsável disse no Fórum TSF que os CTT "não querem abandonar as populações", mas assinalou que a empresa precisa de se adaptar à "nova realidade". E acrescentou que já há acordos com as entidades locais, nomeadamente com as juntas de freguesia, para manter os serviços postais funcionar.

Também à TSF, o presidente da Câmara de Vila Real admitiu que existe um "princípio de entendimento" e que ainda não foi fechado qualquer acordo.

Em dezembro passado, os CTT divulgaram um Plano de Transformação Operacional, que prevê a redução de cerca de 800 trabalhadores na área das operações em três anos, um corte de 25% na remuneração fixa do presidente do Conselho de Administração e do presidente executivo, além da otimização da implantação de rede de lojas, através da conversão de lojas em postos de correio ou do fecho de lojas com pouca procura.

Já este ano, confirmaram o fecho de 22 lojas no âmbito deste plano de reestruturação, situação que, segundo a Comissão de Trabalhadores dos Correios de Portugal, vai afetar 53 postos de trabalho.

A privatização dos CTT, que rendeu aos cofres do Estado mais de 900 milhões de euros, foi feita a dois tempos -- em 2013 e em 2014 -- em operações que renderam, respetivamente, 579 milhões de euros (70% do capital social da empresa a 5,52 euros por ação) e 343 milhões de euros (30% do capital social detido pela Parpública ao preço de 7,25 euros por ação).

Ler mais

Exclusivos