Costa congratula-se com redução do número de desempregados

O número de desempregados é o menor dos últimos 16 anos e houve a maior redução homóloga de (20,5%) desde que há registos em 1989

O primeiro-ministro, António Costa, congratulou-se com a descida do número de desempregados em Portugal para um mínimo de 16 anos, realçando que para manter estes resultados é preciso continuar o investimento nas empresas.

"Hoje é também um dia importante para nós em Portugal. Soubemos há pouco que temos neste momento o menor número de desempregados desde os últimos 16 anos e tivemos a maior redução homóloga de desempregados (20,5%) desde que há registos em 1989", disse António Costa.

O primeiro-ministro falava durante a cerimónia de assinatura dos contratos relativos aos incentivos financeiros concedidos pelo Governo que permitirão um investimento superior a 100 milhões de euros naquela unidade.

O Ministério do Trabalho anunciou que o número de desempregados registados nos centros de emprego baixou em junho 20,5% relativamente ao mesmo mês de 2017, para 332,4 mil pessoas, o número mais baixo dos últimos 16 anos.

António Costa realçou que para que estes resultados na economia portuguesa aconteçam é fundamental que o investimento nas empresas continue a existir.

"É por isso que este investimento de cerca de 150 milhões de euros que o grupo Renault vai fazer na fábrica em Cacia é da maior importância para podermos prosseguir esta trajetória de crescimento económico e de criação de emprego", afirmou.

António Costa parabeniza a Renault

O governante desejou "as maiores felicidades" na execução deste contrato que, segundo o mesmo, "pode contribuir para o desenvolvimento desta fábrica e para a sua viabilidade ao longo dos próximos largos anos".

Costa deu ainda os parabéns à Renault Cacia por em 2017 ter voltado a ser, pelo terceiro ano consecutivo, a primeira fábrica do grupo Renault/Nissan/Mitsubishi em todo mundo.

O montante que vai ser investido na fábrica da Renault em Cacia, tem como objetivo dotar aquela unidade das condições necessárias à produção de uma nova geração de caixas de velocidades, estando prevista a criação de uma linha de montagem específica e a contratação de pelo menos 150 novos colaboradores.

A cerimónia foi também aproveitada para a oferta de duas viaturas a outras tantas corporações de bombeiros da região de Aveiro, naquela que foi a primeira iniciativa da Fundação Renault.

Ler mais

Exclusivos