Contas da ERSE: Galp tem a oferta de luz e gás mais barata para as famílias

Segundo a análise do regulador relativa ao último trimestre de 2018, a diferença entre a oferta mais cara e a mais barata é de 264 euros por ano.

As contas são da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) e têm como objetivo facilitar a vida aos consumidores, que desde a liberalização do mercado têm à disposição dezenas de ofertas de luz e gás, e a possibilidade de mudar quando quiserem.

Na análise de dezembro, o regulador da energia concluiu que para um casal com dois filhos, a oferta tarifária da Galp que junta gás e eletricidade e uma contagem bi-horária é a opção mais acessível do mercado, com uma fatura anual que ronda os 1033 euros.

No extremo oposto, segundo o boletim publicado esta terça-feira, está uma das propostas da Audax, que no final do ano dá origem a uma fatura de 1297 euros, mais 25% face à oferta mais barata do mercado, ou o equivalente a 264 euros por ano.

Para as famílias com dois filhos, há atualmente disponíveis no mercado 178 ofertas comerciais. Destas, 115 só contemplam o fornecimento de eletricidade e 63 são duais, ou seja, incluem eletricidade e gás natural. Se a mesma família preferir contratar apenas um serviço de eletricidade, a proposta mais acessível pertence à Muon.

Trata-se de uma oferta que funciona em regime de pré-pagamento, ou seja, o consumidor paga as 12 faturas anuais de um vez, logo no início do contrato. O custo é de 827 euros por ano. Por sua vez a oferta tarifária mais cara pertence à mesma fornecedora, que propõe um plano mensal que por ano custa 1071 euros, mais 23%, ou 244 euros, do que o mais acessível.

A ERSE também analisou as ofertas para os casais sem filhos e aqui existem 176 ofertas comerciais, das quais 113 são exclusivas para o fornecimento de eletricidade e 63 contemplam também o gás. Aqui, o serviço com menor fatura é o da GoldEnergy. São 325 euros por ano, menos 102 euros do que a proposta mais cara, da Muon.

Para o mesmo tipo de famílias, mas que prefiram contratar luz e gás ao mesmo tempo, a melhor oferta também é da GoldEnergy e custa cerca de 430 euros por ano. A mais dispendiosa é da Audax, cuja fatura chega aos 569 euros. Os preços e comparações, alerta a ERSE, "resultam da componente da fatura anual relativa ao fornecimento de gás natural, sem impostos e taxas, sendo a análise efetuada em preços reais".

O estudo não considera as ofertas que incluem serviços adicionais como assistência técnica diagnósticos energéticos. Segundo o regulador, "o número de ofertas comerciais tem vindo a aumentar, registando-se no 4º trimestre de 2018 um valor máximo de ofertas comerciais mono eletricidade (113 ofertas) e duais (63 ofertas)".

Ana Sanlez é jornalista do Dinheiro Vivo

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

"Petróleo, não!" Nesta semana já estivemos perto

1. Uma coisa é termos uma vaga ideia de quão estupidamente dependemos dos combustíveis fósseis. Outra, vivê-la em concreto. Obrigado aos grevistas. A memória perdida sobre o "petróleo" voltou. Ficou a nu que temos de fugir dos senhores feudais do Médio Oriente, das oligopolísticas, campanhas energéticas com preços afinados ao milésimo de euro e, finalmente, deste tipo de sindicatos e associações patronais com um poder absolutamente desproporcionado.