Confiança no setor do Turismo no nível mais alto de sempre

O nível de confiança médio no desempenho do setor do turismo atingiu, em maio, o valor mais elevado de sempre no barómetro do Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), foi hoje divulgado.

O nível de confiança médio no desempenho do setor do turismo atingiu, em maio, o valor mais elevado de sempre no barómetro do Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), foi hoje divulgado.

O valor de confiança médio fixou-se nos 84,3%, mais um ponto percentual do que em dezembro, tendo o primeiro registo do nível de confiança sido em março de 2011 (61,1%).

Com estes dados, o presidente do IPDT, António Jorge Costa, comentou haver perspetivas de "novos recordes" em 2017.

Os resultados globais do turismo nacional no próximo verão serão melhores do que em 2016.

"Mais de 75% dos inquiridos acreditam que o verão de 2017 vai ser melhor que o de 2016 no que toca a receitas, dormidas e número de turistas, no que se refere ao mercado interno", enquanto no mercado externo deverá haver uma "evolução ainda mais positiva", com uma subida de mais de 90%, segundo o barómetro do IPDT.

Nos próximos seis meses, os indicadores turísticos, incluindo o emprego, devem aumentar e a China deverá liderar o crescimento dos mercados internacionais, esperando-se também bom desempenho por parte da França, Alemanha e Estados Unidos.

O painel destacou uma subida de turistas nacionais no verão de 2017 (69,1%).

Sobre a gestão de Lisboa e do Porto enquanto destinos turísticos sustentáveis, o painel do barómetro sugeriu a aposta em "medidas de fiscalização e regulamentação (24%), a promoção de ofertas integradas com outros destinos nacionais (20%) e a melhoria da qualidade do serviço, a par de um reforço da autenticidade dos destinos (16%).

Lançado em 2006, o barómetro tem a participação de 176 participantes de empresas e instituições do setor do turismo nacional. Para o barómetro de maio foram incluídas 75 respostas dadas entre 16 e 26 de maio.

Criado em 2003 em Portugal, o IPDT é inspirado no projeto WHATT (World Hospitality and Tourism Trends) do Reino Unido.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.

Premium

Opinião

Investimento estrangeiro também é dívida

Em Abril de 2015, por ocasião do 10.º aniversário da Fundação EDP, o então primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmava que Portugal "precisa de investimento externo como de pão para a boca". Não foi a primeira nem a última vez que a frase seria usada, mas naquele contexto tinha uma função evidente: justificar as privatizações realizadas nos anos precedentes, que se traduziram na perda de controlo nacional sobre grandes empresas de sectores estratégicos. A EDP é o caso mais óbvio, mas não é o único. A pergunta que ainda hoje devemos fazer é: o que ganha o país com isso?