Compra TVI. AdC ia chumbar operação que ia custar 100 milhões aos concorrentes

Altice e Prisa comunicaram ontem a desistência da compra da TVI depois de ultrapassado o prazo de 15 de junho acordado para concluir negócio

Não fosse a Altice ter "desistido" da compra da TVI, os donos do Meo preparavam-se para ver chumbada pela Autoridade da Concorrência (AdC) uma operação que o regulador estimou iria ter custos 100 milhões de euros ano para os concorrentes, o que acabaria por se refletir nos consumidores, ao aumentar o preço pago pelas famílias pelo seu pacote de telecomunicações.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Premium

Henrique Burnay

Discretamente, sem ninguém ver

Enquanto nos Estados Unidos se discute se o candidato a juiz do Supremo Tribunal de Justiça americano tentou, ou não, há 36 anos abusar, ou mesmo violar, uma colega (quando tinham 17 e 15 anos), para além de tudo o que Kavanauhg pensa, pensou, já disse ou escreveu sobre o que quer que seja, em Portugal ninguém desconfia quem seja, o que pensa ou o que pretende fazer a senhora nomeada procuradora-geral da República, na noite de quinta-feira passada. Enquanto lá se esmiúça, por cá elogia-se (quem elogia) que o primeiro-ministro e o Presidente da República tenham muito discretamente combinado entre si e apanhado toda a gente de surpresa. Aliás, o apanhar toda a gente de surpresa deu, até, direito a que se recordasse como havia aqui genialidade tática. E os jornais que garantiram ter boas fontes a informar que ia ser outra coisa pedem desculpa mas não dizem se enganaram ou foram enganados. A diferença entre lá e cá é monumental.