China envia protesto solene aos EUA por tratamento à Huawei

A empresa de telemóveis foi colocada pela administração Trump numa lista de empresas suspeitas, a quem é proibido vender equipamento tecnológico.

A China enviou um "protesto solene" a Washington a propósito do tratamento da Huawei, empresa de telemóveis colocada na lista negra nos Estados Unidos, anunciou esta quinta-feira o ministério chinês do Comércio.

A empresa chinesa de telecomunicações, suspeita de espionagem a favor de Pequim, foi colocada pela administração Trump numa lista de empresas suspeitas, a quem é proibido vender equipamento tecnológico.

O porta-voz do ministério do Comércio da China, Gao Feng, sublinhou o protesto de Pequim contra a medida e assegurou que a China tem os meios necessários para "defender os legítimos direitos e interesses das empresas chinesas".

"A melhor resposta das empresas chinesas à posição dos Estados Unidos é continuar a crescer", disse.

Na sequência da posição assumida pelos Estados Unidos, a Google anunciou que ia deixar de vender o seu sistema operacional Android à Huawei, nomeadamente aos smartphones da Huawei, o que representa um golpe potencialmente muito duro para o grupo chinês.

Exclusivos