CGD discordou de ordem do Banco de Portugal para reconhecer perdas com Berardo

Após uma inspeção em 2011, o supervisor ordenou um reforço das imparidades em três créditos que tinham sido concedidos pelo banco público.

A Caixa Geral de Depósitos resistiu a reconhecer as perdas com os créditos a Berardo. Isto apesar de o Banco de Portugal, após uma inspeção feita em 2011 a dez financiamentos garantidos por ações, ter determinado um reforço das imparidades nos créditos a José Berardo, à Investifino e a Goes Ferreira.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos