Carris passa para as mãos da câmara a partir de 1 de janeiro

Memorando é assinado na segunda-feira

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, e o presidente da câmara de Lisboa, Fernando Medina, assinam na segunda-feira o memorando de entendimento para a passagem da gestão da rodoviária Carris para a autarquia lisboeta, disse hoje à Lusa fonte do Governo.

Segundo a mesma fonte, a cerimónia vai decorrer de manhã, no Museu da Carris, em Alcântara, e será presidida pelo primeiro-ministro António Costa.

Presente na assinatura do documento vai estar também o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, e o secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes.

A Câmara de Lisboa vai iniciar funções como gestora da Carris a partir de 01 de janeiro de 2017.

A gestão da Carris era uma ambição antiga da autarquia e esta decisão do Governo surge na sequência da suspensão do processo de subconcessão das empresas públicas de transporte de Lisboa e do Porto lançado em 2011 pelo anterior Governo PSD/CDS-PP.

Na altura, o ex-primeiro-ministro Passos Coelho chegou a atribuir a subconcessão das empresas em Lisboa (Metro e Carris) ao grupo espanhol Avanza, o Metro do Porto à Transdev e a Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP - serviço de autocarros) à Alsa, do Grupo Nacional Express.

Os contratos aguardavam visto prévio do Tribunal de Contas para entrarem em vigor quando António Costa assumiu funções e os suspendeu, estando atualmente a decorrer na justiça alguns processos interpostos pelas empresas estrangeiras que contestam a decisão do primeiro-ministro.

Entretanto, o Governo PS decidiu entregar a gestão da Carris à Câmara de Lisboa, enquanto no Porto a STCP vai ser gerida pelos seis municípios da Área Metropolitana onde opera (Porto, Gaia, Matosinhos, Maia, Gondomar e Valongo).

Ler mais

Exclusivos