BPI. CaixaBank e Santoro não chegam a acordo

Grupo bancário catalão oficializa fim das negociações com Santoro

O espanhol Caixabank, acionista maioritário do BPI, disse hoje que não conseguiu chegar a acordo com a empresa angolana Santoro numa solução que permita ao BPI cumprir as regras do BCE relativas à sua presença em Angola.

"Relativamente aos factos relevantes publicados nos passados dias 2 e 16 de Março sobre a sua participação no BPI, o CaixaBank informa que não se conseguiram reunir as condições necessárias para alcançar um acordo com a Santoro Finance", lê-se no comunicado divulgado no portal na Internet do regulador dos mercados financeiros espanhol.

O Caixabank é o principal acionista do BPI, com 44,10% do capital social, apesar de só poder exercer 20% dos votos devido à blindagem dos estatutos, enquanto a Santoro, da empresária angolana Isabel dos Santos, detém 18,58% do capital.

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

Navegantes da fé

Este livro de D. Ximenes Belo intitulado Missionários Transmontanos em Timor-Leste aparece numa época que me tem parecido de outono ocidental, com decadência das estruturas legais organizadas para tornar efetiva a governança do globalismo em face da ocidentalização do globo que os portugueses iniciaram, abrindo a época que os historiadores chamaram de Descobertas e em que os chamados navegantes da fé legaram o imperativo do "mundo único", isto é, sem guerras, e da "terra casa comum dos homens", hoje com expressão na ONU.