Beneficiários que saíram podem voltar à ADSE

Proposta abre sistema aos cônjuges de beneficiários desde que tenham menos de 65 anos, mas pede-lhes um desconto inferior a 3,5%.

A ADSE vai permitir o regresso de beneficiários que no passado renunciaram e decidiram sair do subsistema de saúde da função pública. Esta é uma das novidades que integra a proposta do regulamento, que abre também a porta à inscrição dos cônjuges dos funcionários públicos, desde que tenham menos de 65 anos, e à manutenção dos filhos até aos 35 anos. A expectativa é de que, com as novas regras, o número de beneficiários aumente em cerca de 400 mil.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.