Banco Santander corta nos motoristas

Apenas a presidente do banco, o CEO e dois vice-presidentes manterão a regalia

O objetivo é poupar. A maior parte dos executivos de topo do Banco Santander de Espanha vai deixar de ter motorista. Apenas a presidente do banco, Ana Botin, o CEO e dois vice-presidentes manterão a regalia, confirmou uma porta-voz do banco à Bloomberg. Os outros, incluindo 21 vice-presidentes, terão de passar a conduzir eles próprios os Audi disponibilizado pela instituição.

Com a medida, o banco espera poupar 88 mil euros. Nos últimos anos, o banco tem reduzido a sua dimensão internacional, esperando reduzir as despesas em três mil milhões de euros até ao final de 2018 - o que implica cortes no pessoal e encerramento de agências.

O Deutsche Bank também está a cortar nos motoristas para os membros do conselho de administração.