Banca encara contas-ordenado "como a nova galinha poedeira", diz Deco

Os custos das contas à ordem estão cada vez mais altos e as isenções das contas-ordenado nos grandes bancos desapareceram, alerta a Deco.

Os custos das contas à ordem estão cada vez mais altos e as isenções das contas-ordenado nos grandes bancos desapareceram. A conclusão é de um estudo da Deco, publicado na edição de março da revista Dinheiro & Direitos, que diz que a banca passou a "encarar as contas-ordenado como a nova galinha poedeira, capaz de lhes render um fluxo ininterrupto de ovos de ouro".

Ler mais