As notas de 500 euros podem estar prestes a sair de circulação

Banco Central Europeu pondera acabar com as notas de valor mais elevado, devido à sua utilização em atividades criminosas

O Banco Central Europeu está a ponderar acabar com as notas de 500 euros, admitiu o presidente do BCE, Mario Draghi, uma vez que estas são as mais utilizadas em atividades criminosas.

Draghi defende que aqueles que usam as notas de 500 euros para poupar, guardando o dinheiro fisicamente, poderão continuar a fazê-lo com as notas de 200. "A nota de 500 é vista cada vez mais como um instrumento para atividades ilegais", disse Draghi, acrescentando que um eventual fim das notas de 500 nada tem a ver com "uma redução do dinheiro em circulação" na Europa.

O volume de dinheiro na zona euro ascendeu a mais de um bilião de euros no ano passado, com mais de 30% acumulado em notas de 500. Facto que reflete os receios dos contribuintes em relação ao sistema bancário e a exasperação com os baixos juros obtidos com os depósitos.

Na sexta-feira passada, os ministros das Finanças europeus pediram ao Banco Central Europeu que procure formas de reduzir o acesso às notas de 500 euros, medida para cortar o financiamento de atividades terroristas e branqueamento de capitais.

Há cerca de 614 milhões de notas de 500 euros em circulação, somando certa de 300 mil milhões de euros. Cerca de 25 por cento delas estão em países que não pertencem à moeda única.

Ler mais

Exclusivos