Anúncios a séries no Netflix revoltam utilizadores

Empresa de streaming diz que é possível ir diretamente para o conteúdo que se pretende visualizar, evitando anúncios

A plataforma de streaming Netflix começou a mostrar anúncios a conteúdos disponíveis no serviço entre filmes e séries. "Estamos a testar de que forma é que as recomendações entre episódios ajudam os assinantes a descobrir mais rapidamente certas histórias de que vão gostar", justificou ao site ARS Technica fonte oficial da empresa.

No entanto, a medida foi alvo de críticas por parte de alguns utilizadores. Nas redes sociais alguns dizem que não faz sentido, uma vez que este é um serviço pago por subscrição.

"Há alguns anos introduzimos trailers na experiência de televisão, porque reparámos que eles reduziam significativamente o tempo que os membros gastam a procurar conteúdos", disse a empresa num comunicado, garantindo que os utilizadores podem saltar diretamente para o conteúdo que pretendem ver.

Esta medida já fez alguns utilizadores ameaçar abandonar o serviço. "Agora, o Netflix está a mostrar anúncios aos seus próprios programas. É tempo de cancelar a minha subscrição", escreveu um utilizador no Twitter. "Adoro o Netflix e sou assinante há vários anos. Mas se começarem a ter anúncios, mesmo se os poder saltar, irei cancelar a minha conta", disse outra assinante na mesma rede social.

Não se sabe se o Netflix está a testar estes anúncios em todos os mercados ou apenas nos anglófonos, já que há relatos de países como os Estados Unidos, o Reino Unido e a Austrália.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".