Ministro elogia fibra ótica da Altice na ajuda a fixar populações

Projeto de infraestruturação em fibra ótica da Altice Portugal do Maciço Central da Serra da Estrela elogiado por governo e autarca

Joana Capucho

"Nos últimos 10 anos, o interior do país perdeu cerca de 10% da população e as áreas protegidas perderam 20% da população. Nós não podemos ficar indiferentes a números destes e por isso temos de perceber que temos de saber desenvolver estes territórios, temos de olhar para eles como ativos que têm de ser geridos e para serem bem geridos quanto mais bem infraestruturados estiverem, melhor isso pode acontecer porque maior é a capacidade que temos de fixar aqui pessoas, que promovem atividades tradicionais que são também elas importantes para a criação de biodiversidade." Foi desta forma que ontem o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, reagiu ao projeto de infraestruturação em fibra ótica da Altice Portugal que vai ligar seis concelhos na área do Maciço Central da Serra da Estrela.

Seia, Covilhã, Manteigas, Gouveia, Fundão e Oliveira do Hospital (incluindo perto de meia centena de freguesias) vão assim beneficiar de um verdadeiro projeto de interesse público, potenciando a criação de valor nestes territórios e na região como um todo. "É um investimento inédito de vários milhões de euros, que vai ter agora início e criar infraestruturas onde nunca houve, permitindo a ligação destas populações às autoestradas da informação, algo que nunca aconteceu em várias décadas", explica a empresa.

O projeto de infraestruturação em fibra ótica de seis concelho do Maciço Central da Serra da Estrela já começou a ser apresentado, em Seia, aos autarcas da região, representantes de Juntas de Freguesia, empresários, associações empresariais da região e demais entidades. Em Seia, o ministro do Ambiente aplaudiu o projeto e defendeu a "imensa importância" deste investimento para o Parque Natural da Serra da Estrela. .

"Hoje, nestas regiões, as populações só podem usufruir deste tipo de serviços através da Altice Portugal, único operador que investe localmente. Uma aposta da empresa que faz do investimento em zonas de baixa densidade populacional uma prioridade, como são disso exemplo os Call Centers da Guarda, Covilhã e Castelo Branco, e o Data Center da Covilhã, na mesma região", adianta ainda a Altice. Este investimento, em estreita parceria com os municípios da região, vai ainda ser uma mais-valia na captação de investimento privado e, a médio e longo prazo, na criação de emprego.

Para o Presidente da Câmara de Oliveira do Hospital, em declarações à Centro TV, estes investimentos são fundamentais "porque podem trazer-nos uma nova visão de desenvolvimento do nosso próprio território e de todos estes concelhos. A Altice já tinha feito, em Oliveira do Hospital, uma primeira fase de infraestruturação na cidade e em todos os núcleos urbanos próximos à cidade, por isso, já estávamos um bocadinho à frente". José Carlos Alexandrino reconhece ainda "esse esforço neste projeto que tornará todos estes concelhos mais competitivos. Termos a fibra ótica é fundamental para projetos e para fazermos com que algumas empresas se instalem nos nossos territórios".

Também em Seia, o presidente executivo da Altice Portugal sublinhou o conceito de proximidade como um dos vetores chave da empresa no país. "O mais importante dentro daquilo que é a estratégia da Altice para Portugal é o conceito da proximidade", garantiu Alexandre Fonseca, acrescentando que "é fundamental que, além dos investimentos que fazemos de uma perspetiva comercial, no âmbito da infraestruturação de fibra ótica estejamos próximos das regiões que por outros têm sido esquecidas". A Altice Portugal sublinha a necessidade de haver alavancas para o desenvolvimento destes territórios, o que passa também pela garantia de acesso às autoestradas da informação. "A Altice Portugal é um operador nacional, assume-se como tal, e indentificámos aqui a região específica da Serra da Estrela, nestes seis concelhos, e neles procuramos agora com esta infraestruturação trazer as autoestradas da informação. Acreditamos que, ao fazê-lo, estamos a contribuir também para o desenvolvimento das economias regionais, para a captação de investimento, para a fixação das populações e com isso ajudar no combate à desertificação. Este é também o nosso contributo de proximidade para o desenvolvimento da economia do país e este é um dos vetores chave da nossa estratégia para Portugal", concluiu.

A Altice Portugal mantém, assim, o foco de investir em infraestruturas de fibra ótica de última geração, assim como na modernização da Rede Móvel e na expansão do 4G e lançamento do 4G+, que chegará a 70% dos portugueses até este verão, de forma a garantir a qualidade do serviço e a evidente satisfação do cliente, ligando populações e empresas até agora privadas de acesso a tecnologia de última geração.