ADSE. Novos beneficiários terão de descontar entre 30 e 85 euros

Novos beneficiários terão um ano para inscreverem-se e terão de permanecer na ADSE por três anos

Os novos beneficiários que quiserem aderir à ADSE, o subsistema de apoio na doença da Função Pública, terão de descontar todos os anos entre 30 e 85 euros. Este é o principal destaque do projeto de decreto-lei que regula os benefícios da ADSE e que foi apresentado na semana passada ao conselho geral e de supervisão do instituto, liderado por João Proença. Este órgão terá de pronunciar-se sobre a proposta até ao início de novembro, adianta esta quinta-feira o jornal Público.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.