53 mil pessoas ficaram desempregadas em março

No mês passado, houve mais 52 mil pessoas inscritas no IEFP, com o número total de desempregados a superar os 343 mil.

Os centros de emprego do país registaram em março 52.999 novos desempregados, numa subida de 34%, revelam os dados publicados esta segunda-feira pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP). No mesmo período, as colocações caíram 29%, com 5932 postos de trabalho preenchidos, e o mês terminou com um total de 343.761 desempregados registados no país.

Os mais de 343 mil desempregados registados no IEFP no mês passado representam uma subida de 3% face há um ano, e de 9% face aos números de fevereiro, com o volume de desemprego num máximo de 14 meses. Só em janeiro do ano passado há registo de um número mais elevado de desempregados registados, que estava então cerca dos 351 mil indivíduos.


Em termos líquidos, descontando quem foi colocado e quem saiu entretanto das listas do IEFP por outros motivos, o aumento mensal de 9% nos desempregados correspondeu a mais 28.199 indivíduos registados. Também durante o número daqueles que aguardavam por emprego há pelo menos um ano subiu em 5638 pessoas (mais 4,5%), mas com este universo a reduzir-se significativamente face a março do ano passado (menos 9,3%, ou menos 13.455 indivíduos).

Na subida de mais de 28 mil indivíduos em situação de desemprego conta-se um aumento de 1899 jovens até aos 25 anos registados face ao mês anterior - mais 5,6%, num crescimento inferior aos restantes grupos etários, que atinge os 9,3%.

Em termos de habilitações, a maior subida líquida de desemprego acontece entre quem tem escolaridade ao nível do segundo ciclo do ensino básico (11,3%), com aumentos também em torno dos 11% e 10% entre quem concluiu 9º e 12ª anos, respetivamente. Entre os habilitados com ensino superior, o aumento é de 5,3%.

em atualização

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG