Governo cria site a explicar o Orçamento

Tem gráficos, vídeos e as principais medidas ontem apresentadas

O Governo criou um site em que explica o Orçamento de Estado 2017, ontem dado a conhecer. Aqui, os contribuintes têm acesso às informações sobre as medidas aplicadas em cada uma das áreas, bem como gráficos que resumem a informação macroeconómica e ainda vídeos do primeiro-ministro António Costa, de Vieira da Silva, ministro do Trabalho Solidariedade e Segurança Social, e de Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infraestruturas.

"Um orçamento de estado faz-se de escolhas e as escolhas que fizemos para 2017 refletem o rumo que queremos para Portugal: que país seja mais justo e mais coeso", começa António Costa na sua mensagem, em que promete que "vamos continuar a recuperação de rendimentos dos portugueses ao mesmo tempo que reforçamos os apoios sociais daqueles que mais carecem". O primeiro-ministro garante ainda que neste orçamento "reduzimos a carga fiscal a todas as famílias". "As famílias portuguesas vão pagar menos impostos e os impostos que irão pagar terão mais justiça fiscal", diz.

António Costa considera tratar-se de um orçamento "equilibrado, mas mais justo". "Que reduz o défice e a dívida cumprindo os nossos compromissos internacionais, mas que não esquece as famílias e que promove o investimento das empresas e o crescimento económico sustentável gerador de emprego", defende o chefe de governo.

Com ligações através das quais podem ser descarregadas a proposta de lei, o relatório e a apresentação do OE2017, o site identifica as "grandes prioridades" para o próximo ano - famílias, investimento, estado social e conhecimento.

Segundo fonte do gabinete do primeiro-ministro, a criação do site visou dar a conhecer o Orçamento do Estado e as suas prioridades de forma acessível e clara a todos os portugueses.

O site contém ainda pequenos quadros que correspondem às diferentes áreas da governação, que resumem os principais objetivos das políticas para os setores da Educação, Saúde, Modernização Administrativa, Defesa Nacional, Ambiente e os restantes setores.

O Orçamento do Estado para 2017 foi entregue na sexta-feira na Assembleia da República. A proposta prevê um crescimento económico de 1,5%, um défice de 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB), uma inflação de 1,5% e uma taxa de desemprego de 10,3%.

Para este ano, o executivo liderado por António Costa piorou as estimativas, esperando agora um crescimento económico de 1,2% e um défice orçamental de 2,4% do PIB.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG