Gás natural mais caro a partir de outubro no mercado regulado

Proposta tarifária da ERSE representa um aumento de 2,4% face às tarifas em vigor, o que corresponde a 38 cêntimos a mais para um casal sem filhos e de 57 cêntimos para um agregado familiar de quatro elementos

O preço do gás natural no mercado regulado vai aumentar, em outubro, 3,2% comparativamente a outubro de 2022, mas, na prática, o aumento será de 2,4% em média devido à atualização trimestral ocorrida em janeiro.

Significa isto que, explica a Entidades Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) em comunicado, que a fatura média mensal de um casal sem filhos - ou seja, que se situa no 1º escalão e com um consumo de 1610 kWh ao ano - será de 13,92 euros a partir de outubro, mais 38 cêntimos do que paga agora. No caso de um casal com dois filhos, e que, por isso, se situa no 2º escalão, com um consumo de 3407 kWh ao ano, o agravamento será de 57 cêntimos em média, por mês, para um total de 26,25 euros.

Este acréscimo, diz a ERSE, "é essencialmente justificado pelo aumento das tarifas de acesso às redes no ano gás 2023-2024, devido a uma diminuição da procura que resulta num incremento dos custos das infraestruturas".

Esta é a proposta de aumento tarifário da ERSE, mas que terá ainda de ser alvo de parecer do Conselho Tarifário. A aprovação e publicação das tarifas finais será conhecida a 1 de junho e entrará em vigor a 1 de outubro. Estarão sujeitos a este aumento os cerca de 408 mil consumidores de gás natural que ainda permanecem no mercado regulado.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG