Fundos investem 12 mil milhões em Canábis

Um total de 605 fundos investiu 130 milhões de dólares na criação de 137 empresas especializadas na venda de marijuana desde 2010

Depois da moda das startups tecnológicas, os fundos de capital de risco e private equity voltam agora o seu interesse para um novo mercado em franca expansão - a venda de canábis para uso medicinal e recreativo. No total, o mercado da venda de marijuana está avaliado em 56 mil milhões de dólares anuais nos EUA.

Na Europa, a avaliação deste negócio emergente não vai além dos 12 mil milhões de euros, mas é já suficiente para atrair a atenção dos principais fundos de investimento a nível mundial, que ontem participaram em Barcelona no Congresso de Investidores em Cannabis Medicinal, organizado pelo grupo norte-americano Arcview. Esta foi a primeira vez que o evento abandonou a cidade de Las Vegas e se aventurou na sua primeira edição europeia.

Dos 625 investidores acreditados nos EUA, 45 tiveram curiosidade sobre o mercado europeu e atravessaram o Atlântico para ouvir os argumentos dos empreendedores em defesa dos benefícios dos investimentos nos seus negócios no setor da marijuana para uso medicinal. Dos participantes no evento, 80% são investidores particulares e os restantes 20% dizem respeito a fundos altamente especializados no setor. Para 2017, é esperado que o investimento em empresas europeias dedicadas ao negócio da canábis ronde um valor de dois a três milhões.

De acordo com o Arcview Group, desde 2010, um total de 605 fundos de investimento apostaram na criação de 137 empresas, com um investimento de 103 milhões de dólares. Um valor que poderia disparar a nível mundial, num cenário de "legalização total" da substância, até um investimento de 130 mil milhões de dólares, dos quais 25 mil milhões diriam respeito à Europa.

Neste contexto, dizem os analistas, Portugal pode posicionar-se na União Europeia como o primeiro país produtor legal de canábis, já que são cada vez mais os estados comunitários que permitem o consumo da substância mas muitos não têm capacidade agrícola para produzir a planta e nenhum deles legalizou ainda o seu cultivo. O negócio de produção de canábis na Europa está avaliado entre 15 e 35 mil milhões de euros anuais, de acordo com a Rand Corporation, e poderá ser uma oportunidade para Portugal no contexto dos dois projetos de lei que estão a ser preparados pelo Bloco de Esquerda para a legalização da marijuana no país (para fins medicinais e terapêuticos e também uso recreativo).

Os especialistas do Marijuana Policy Group comparam mesmo Portugal ao estado do Colorado, que foi o primeiro a legalizar o cultivo, a venda e o consumo de marijuana nos EUA e que atualmente domina o mercado americano. Só em 2015, o Colorado registou 996,2 milhões de dólares em vendas de marijuana. Para 2026, as projeções avançadas pelo Cowen Washington Research Group apontam para vendas de marijuana nos EUA na ordem dos 50 mil milhões de dólares. No total, incluindo o mercado lícito e ilícito, as vendas de marijuana nos EUA deverão atingir os 65,1 mil milhões de dólares em 2025.

Exclusivos