Função pública: sindicato exige descongelamento imediato das carreiras

A subida do salário mínimo nacional para os 530 euros vai traduzir-se numa injustiça para os funcionários públicos que estão no nível remuneratório correspondente aos 532,08 euros

. O reparo partiu do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública (Sintap), que defende o imediato descongelamento das progressões nas carreiras.

Com este aumento do SMN, refere o Sintap, liderado por José Abraão, "a diferença entre os dois primeiros escalões remuneratórios daquela carreira [de assistente técnico] passará a ser diminuta". Para este sindicato, a situação "é inaceitável", sobretudo porque há milhares de pessoas que estão há mais de 15 anos naquele nível remuneratório que congelou nos 532,08 euros.

A solução para ultrapassar esta situação passa pelo descongelamento "imediato das progressões nas carreiras da administração pública" e pela revisão da tabela remuneratória única. No programa do governo, o início deste descongelamento está agendado para 2018.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG