Fracasso nas rescisões amigáveis faz derrapar défice

Governo estaria a contar com a saída de muitos professores, o que acabou por não acontecer. Rescisões amigáveis não aconteceram e folha salarial engordou, como seria de esperar, agravando o défice

O fracasso na adesão de trabalhadores, sobretudo professores, ao chamado Programa de Rescisões por Mútuo Acordo (PRMA) está a fazer derrapar a despesa pública e motivou o recurso à almofada orçamental, consumindo-a praticamente toda.

No ano passado, no Estado e nos institutos públicos, o Governo gastou 190 milhões de euros em acordos com funcionários, o que permitiu aliviar a despesa corrente com salários. Este ano, a mesma rubrica está a zeros, mostra a UTAO - Unidade Técnica de Apoio Orçamental. Logo, está a ser preciso mais dinheiro do que se esperava para pagar remunerações de pessoas que já deviam ter saído.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG